quinta-feira, 2 de junho de 2011

As Tendências Pedagógicas Progressista

Tendências pedagógicas progressistas

Segundo Luckesi (2005), a pedagogia progressista parte de uma análise crítica das realidades sociais. Postulam a compreensão da educação a partir de seus condicionantes sociais (SAVIANI, 1988). A pedagogia progressista pode ser vista através de três tendências: (i) a libertadora; (ii) a libertária e (iii) a crítico-social dos conteúdos.
Dado as suas características, na tendência libertária e crítico-social, como a autogestão pedagógica e a proposta de síntese superadora das pedagogias tradicional e renovada com objetivo de efetivar a participação dos alunos em lutas sociais, respectivamente, os autores entendem serem modalidades fora do contexto do campo de análise deste trabalho, assim, concentrando-se apenas na avaliação da tendência libertadora.

5. TENDÊNCIA PROGRESSISTA LIBERTADORA
Esta tendência propõe questionar a realidade das relações sociais e políticas através de temas geradores, não de conteúdos sistematizados. Surge como um contraponto as posturas liberais, tradicional e renovada, que são vistas como domesticadoras, principalmente, no sentido da transformação social (LUCKESI, 2005). Segundo Libâneo (1994), é uma corrente voltada para trabalhar com grupos sociais.
Os métodos aplicados em sala de aula convergem para grupos de discussão. A estes grupos cabem autogerir seu processo de aprendizagem, determinando o conteúdo e a dinâmica das atividades. Pode-se dizer que a relação entre docente e discente é horizontal (de igual para igual) e baseada no diálogo. O processo de aprendizagem está baseado na resolução de situações problemáticas. Dispensam-se programas educacionais previamente estruturados, trabalhos escritos, aulas expositivas e provas, por exemplo. Admite-se a avaliação subjetiva baseada nas práticas vivenciadas ao longo do processo de educação (LUCKESI, 2005).

4 comentários:

  1. É um tanto marxista e comunista essa tendência, uma vez que privilegia somente grupos específicos dentro de determinada área social. Na verdade, não me parece algo que vá gerar uma educação plena. A luta de classes já se faz presente no cotidiano do homem. Ele precisa entender como se gera a luta, porque existe a luta, estando de fora da mesma. Uma vez dentro dela, não é possível ver mais nada. Todo o homem deve ser observador daquilo que está ao seu redor e não ter que experimentar para poder dizer se é bom ou não. O estudo, programas educacionais (previamente) estruturados, etc, fazem parte da vida escolar do aluno. Estamos diante de uma desigualdade, porque para existir esta tendência alguém teve que estudar e ter a idéia de criá-la. Continua sendo uma minoria dominando uma maioria, e uma maioria que não terá direito ao estudo e à pesquisa, em si.
    Agradeço ao criador do blog, porque me ajudou a ver o assunto e entendê-lo um pouquinho mais.

    ResponderExcluir
  2. Tendencias progressistas abrem muito espaço para o doutrinamento de jovens nas escolas, é o que vemos hoje em dia nas escolas públicas, o aluno entra sem saber nada da vida e sai pensando que Marx ou o Guevara foram grandes pessoas e não assassinos

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Li os comentários anteriores, e contraponho tais ideias referentes à pedagogia progressista, não há doutrinamento, não há privilégio de grupos sociais, a pedagogia progressista visa sanar e contribuir para o que a educação liberal diz, processos de doutrinamento estão relacionados à tendências tecnicistas, ou até apenas o repasse de informações sem o mínimo de contextualização e modificações sociais. O professor dessa pedagogia é reflexivo, pensa e repensa sua atuação em sala de aula, não privilegia nenhuma classe, mas antes visa uma maior integração entre todos. Os conhecimentos assim não são adquiridos de forma de repasse, mas sim construídos à partir dos processos didáticos dessa tendência. É sim uma pedagogia libertadora, e divisora de águas de uma sociedade em que se deve estar cada vez mais crítico quanto os processos que permeiam as sociedades.

    ResponderExcluir